La Vie En Rose

Hold me close and hold me fast
The magic spell you cast
This is la vie en rose

When you kiss me heaven sighs
And tho I close my eyes
I see la vie en rose

When you press me to your heart
I’m in a world apart
A world where roses bloom

And when you speak…angels sing from above
Everyday words seem…to turn into love songs

Give your heart and soul to me
And life will always be
La vie en rose


Pra você, que fez com que eu me tornasse

a pessoa que sou hoje.

Pra você, a única mulher que eu sou capaz

de fazer qualquer coisa pra ver bem, feliz e

segura.

Pra mulher da minha vida 

Você primeiro olha pra você mesmo, vê se está bem consigo mesmo. Se não fizer isso nada vai seguir adiante.

Caso tenha familia/namorado/companheiro seja lá o que for, cuide disso logo em seguida! Você tem que cuidar de sua casa/familia/companheiro depois você vê o resto, não adianta reclamar e falar “ah meu namorado isso” ou “ah lá em casa tá foda…” se você não está se esforçando pra ser uma pessoa melhor em relação a isso, já foi provado que é impossível viver sozinho, somos obrigados aprender a viver em conjunto. Então cuide sempre de sua familia, simplesmente porque é sua familia. Cuide do seu companheio(a), esta pessoa está com você pois ambos acharam que seria bom compartilhar as coisas/futuro/intimidade/segredos foi tudo questão de opção/gostar/amar, então faça por merecer. Caso não esteja satisfeito, abra o jogo e vá embora, pois esta pessoa pode virar sua familia, nunca brinque com os sentimentos dos outros, NUNCA. Isso eu aprendi a força.

Depois cuide de seus amigos, mas os amigos verdadeiros, cresci a vida inteira ouvindo que tinha que saber separar amigos de colegas. Seus amigos são aquela “familia” que nós podemos escolher, alguns vão para a vida toda do nosso lado, outros infelizmente não, e seja sagaz com todas essas pessoas, afinal de contas são seres humanos, nem todo mundo é bem intencionado, saiba diferenciar quem são os verdadeiros e quem são os interesseiros e quem são os maldosos, é melhor aprender a filtra-los do que aprender só depois que tomar uma rasteira.

Aprenda também a ouvir, para poder ser ouvido. Eu nunca fui assim, e tenho muito a aprender ainda, mas nesses últimos tempos eu amadureci muito, saber respeitar quem merece ser respeitado, paciente, educado, gentil, afinal de contas, gentileza gera gentileza. Graças a uma pessoa eu consegui ganhar mais qualidades e mudar alguns defeitos, outros não. Mas ninguém é perfeito.

Viver é um eterno aprendizado e uma constante mudança, então saiba quem levar do seu lado, querer bem quem te quer bem, e valorizar isso. Saiba também ter uma visão crítica das coisas e de você mesmo, analisar e refletir as vezes é bom, pra amadurecermos alguns pensamentos.

Liberdade é a palavra (e, na minha opinião) a melhor conquista quando se trata de sexualidade nesta nossa época maluca de século XXI. Não porque vivemos no tempo do amor livre, aquele dos anos 1960 em que ninguém era de ninguém e os casamentos ficaram fora de moda. Mas porque vivemos em um mundo em que a monogamia é linda e bacana e o melhor modelo do mundo – desde que você o tenha escolhido. E assim como os que acreditam na metade da laranja, os demais também merecem o mesmo respeito, e outras formas de amor passaram a existir socialmente. Inclusas aí a poligamia, a pansexualidade, a solteirice crônica.

Por isso mesmo, tudo é permitido – menos viver a vida que não se quer e, por isso, trair. Mas como traímos? Homens e mulheres traem diferente? Pensam diferente sobre esse assunto? Não duvido nem um pouco. Não por algum tipo de diferença genética ou intrínseca dos nossos gênero – até porque este sistema binário e ultrapassado do feminino/masculino é o que realmente deveria ficar fora de moda. Mas por construções sociais a que somos submetidos todos os dias, desde o nascimento até a morte de cada um de nós.

Existem muitos homens traindo, mas existem muitas mulheres também, é claro – ninguém detém o monopólio da canalhice. Não faz muito tempo, no entanto, saiu uma pesquisa brasileira que confirma o senso comum. A principal justificativa feminina para a traição é a falta de atenção dos namorados e maridos. Seja com suas necessidades emocionais ou sexuais. É aquela velha história: quem não tem o que quer em casa procura na rua. O que não torna a traição menos desprezível. É preciso uma boa dose de covardia para não ser sincero – consigo mesmo e com o parceiro – e colocar tudo em pratos limpos antes de sair, de maneira canalha e desonesta, procurando pela rua o que lhe falta em casa. É errado supor que mulheres não são covardes. Elas são, sim, e são tão manipuladoras quanto o sexo masculino. Pessoas manipulam, e ponto final.

Mas, na tal pesquisa, 60% dos homens (contra 47% das mulheres) assumiram que já traíram suas parceiras em algum momento da vida. O que mais me chamou atenção nem foi o número alto, mas a imbecilidade e a imaturidade das justificativas masculinas. Existem, sim, aqueles que traem, como as mulheres, por não terem suas necessidades sexuais atendidas. A população masculina traidora mais sem caráter, no entanto, está nas outras duas desculpas: os que dizem desejar e amar suas parceiras, mas que não conseguem ficar sem trair; e os que não consideram traição porque “foi uma noite só”, “a mulher deu mole e eu não consegui dizer não” ou que traem apenas quando estão em viagens de trabalho, para “não desperdiçar a oportunidade”. Sim, a “oportunidade”.

Não sei se existe um tipo menos pior de traição. Não há nada de errado em não querer assumir um compromisso com alguém, mas uma pessoa que faz um pacto de estar apenas e somente com o outro e trai esse pacto não é exatamente o meu tipo de gente. Agora depois de tudo isso ainda dizer que “não podia perder a oportunidade” ou que é da natureza do homem trair? Não é da natureza de ninguém não ter consideração pelo outro. Não é da natureza de ninguém esquecer que dependemos do modo como nos relacionamos para sobreviver. Não é da natureza de ninguém (e por isso mesmo não é permitido a ninguém) desconsiderar sentimentos alheios em nome da sua narcísica procura pelo prazer. Não é da natureza nem de homens nem de mulheres se construir em um completo idiota.

A psicologia explica. Provavelmente é da natureza dele, esse cara aí que respondeu à pesquisa, não prestar, não ter caráter. E ele esconde seus próprios demônios de si mesmo, se engana, dizendo para os outros (e por consequência para si mesmo) que todos os homens são assim e que portanto ele não tem culpa se também é um babaca. Velho, tenho uma novidade para você: os homens não são assim. Você é assim. Homens (pessoas) de verdade têm sentimentos de verdade e conseguem projetá-los no outro e imaginar como ele se sentiria se tivesse sua confiança quebrada. Homens são adeptos de uma característica que até animais selvagens têm, mas que falta a você: empatia.

Relacionamentos acabam cedo demais porque as pessoas deixam de colocar o mesmo esforço para mantê-lo como fizeram para conquistá-lo.

Aos que desejam muito isso me desculpem, mas comigo não vai acontecer isso.

“Relacionamento não é só prazer. Não é só festa, viagem, risada, diversão, brinde, sexo, beijo, cumplicidade. Relacionamento tem fase chata, de vez em quando tem briga, discussão, chatices, rotina, implicâncias, ciúme, bate boca. A gente tem que lidar, conviver e amar uma pessoa que veio de outra família, outro mundo, tem outra criação, outros costumes, outros pensamentos, outro jeito de viver. Você tem que aceitar aquela pessoa como ela é, e isso dá muito trabalho. O amor é lindo sim, e ele é a maior recompensa para quem não tem medo de enfrentar os próprios medos e os medos do outros. É querer estar com a pessoa independente de qualquer coisa ou situação. Pelo simples fato de estar junto.”
Caio Fernando Abreu (via r-econfigurado)

(via devilscomplex)